Select Language : English 日本語 Português

Américas

Brasil: English / 日本語 / Português do Brasil
Estados Unidos: English

Europa, Oriente Médio, África (EMEA)

EMEA:
(Bélgica, França, Alemanha, Holanda, Espanha, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido)
English / 日本語 / Español / Deutsch / Français
Rússia: English / 日本語 / русский

Ásia-Pacífico

Japão(Comercial): English / 日本語
Japão(Residencial): English / 日本語
Austrália(NTT Com ICT Solutions): English
China Continental: English / 日本語 / 簡體中文
Hong Kong e Macau: English / 日本語 / 繁体中文 / 簡體中文
Índia: English / 日本語
Indonésia: English
Coreia: English / 日本語 / 한국어
Malásia: English
Filipinas(DTSI): English
Singapura: English / 日本語
Taiwan: English / 日本語 / 繁体中文
Tailândia: English / 日本語
Vietnã: English / 日本語

Mãos no volante: decidir sobre o momento certo de transformar sua empresa

30 de julho de 2013
Publicado originalmente no The Guardian (guardian.co.uk)

 

É evidente que um número crescente de CIOs está migrando para a nuvem para ajudar a ganhar vantagem competitiva e procurando meios novos e inovadores de reduzir custos. Um estudo recente daKPMG revela que o uso de nuvem está realmente dominando o planejamento da sala de reuniões do conselho de 2013, com 42% de organizações do Reino Unido divulgando que pelo menos um quinto do seu total de gastos com TI nos próximos 12 meses será com os serviços em nuvem. No entanto, embora os benefícios da empresa que migra para a nuvem sejam claros, decidir quando e como implementar uma estratégia de nuvem continua sendo um desafio complexo para alguns.

Dando sinal verde para a nuvem

Decidir se o momento é certo para migrar para a nuvem levanta uma série de preocupações e dúvidas exclusivas que nascem da estratégia de negócios. Para empresas de qualquer porte, a segurança, a escalabilidade e o controle são fundamentais na escolha de uma solução em nuvem. As empresas menores querem saber como a nuvem dará a elas uma vantagem competitiva e o que isso significará para seu crescimento futuro. As empresas maiores, por outro lado, estarão mais preocupadas em saber como a nuvem pode dar suporte e melhorar o que a empresa já está fazendo, até que ponto a nuvem pode estabelecer interface com a infraestrutura de ICT existente e a escala de mudança que resultará dessa migração. A tranquilização dessas questões determinará a rapidez com que as empresas adotarão a computação em nuvem como seu modelo de ICT.

Conduzindo a nuvem em uma escala global

As empresas de médio e grande portes são mais propensas a ter recursos de ICT internos bem desenvolvidos, mas isso não significa que a nuvem possa permanecer como uma função separada da principal estratégia de negócios, muito pelo contrário. Várias empresas com maturidade na Europa ou América do Norte estão explorando o potencial em nuvem e aproveitando as oportunidades de crescimento em mercados emergentes, usando o comércio eletrônico como a principal tecnologia estimuladora. Na NTT Comms Europe, estamos observando uma adoção significativa nos setores de varejo e moda, em que as marcas estão usando a nuvem para acessar a "nova riqueza" na APAC e, em troca, grandes casas de moda da Ásia estão expandindo nos mercados europeu e americano com o respaldo da extensa infraestrutura em nuvem e área de cobertura de rede global aos quais eles têm acesso também. A ideia da nuvem implica ubiquidade e facilidade de acesso global – mas são os data centers locais e pontos de presença de rede locais, associados ao conhecimento local, que tornam isso uma realidade.

A expansão nesses mercados requer capacidades locais robustas, conhecimento profundo do mercado e a capacidade de recortar e colar "virtualmente" sistemas e processos da matriz para as novas filiais regionais com tempo mínimo de configuração. A identificação de fornecedores que possam realmente entregar uma área de cobertura global requer consideração e pesquisa cuidadosas. As empresas que pretendem colocar aplicativos essenciais aos negócios em nuvem devem procurar, pelo menos, uma infraestrutura de data center com presença em seus principais mercados, juntamente com uma rede global de um único provedor. Saber quem possui a rede é vital para as empresas grandes. Isso vai além do saber quem chamar quando as coisas dão errado. Com esse conhecimento, os CIOs poderão tomar decisões de planejamento mais acertadas, com base nas prioridades de investimento do provedor de serviços.

Dando lugar à nuvem do crescimento

A emergência da nuvem forçou as organizações de ICT a retomar uma das questões fundamentais da tecnologia empresarial: trata-se de reduzir custo, impulsionar o crescimento ou ambos? As empresas do "novo modelo" que colocaram a nuvem no centro da estratégia foram capazes de concentrar seus recursos internos de ICT na inovação e desenvolvimento, em vez de manter as atividades com a infraestrutura existente Consequentemente, elas se tornaram ainda mais inovadoras e rápidas para concretizar novas oportunidades geradoras de receita. Instagram é um excelente exemplo dessa nova geração de empresas: depende 100% da nuvem para entregar seu serviço, mas a entrega depende de seus provedores de serviços. Isso significa que ela pode se concentrar em entregar o que o cliente desejar. Há apenas cinco anos, esse modelo de negócio teria sido impossível. Os desafios práticos de fornecimento da solução teriam chegado no caminho da ideia original de negócios.

Não volte atrás a meio caminho

Não há uma resposta simples para a questão de quando você deve migrar para a nuvem, mas as empresas precisam considerá-la agora ou correm o risco de ficar para trás. Selecionar o provedor de nuvem certo significa escolher o que melhor se adequa à sua empresa. Esse provedor deverá usar uma abordagem consultiva, ajudando a identificar os objetivos da sua migração para a nuvem, se vai reduzir custos, melhorando a escalabilidade ou aumentando a flexibilidade e a agilidade de ICT. Ele deve ser capaz de demonstrar os benefícios da solução em nuvem e trabalhar com você para garantir que poderá atender aos seus objetivos comerciais. Ao fazer as escolhas certas desde o início, não há limites para o que a nuvem pode proporcionar.

Back to Top