Select Language : English 日本語 Português

Américas

Brasil: English / 日本語 / Português do Brasil
Estados Unidos: English

Europa, Oriente Médio, África (EMEA)

EMEA:
(Bélgica, França, Alemanha, Holanda, Espanha, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido)
English / 日本語 / Español / Deutsch / Français
Rússia: English / 日本語 / русский

Ásia-Pacífico

Japão(Comercial): English / 日本語
Japão(Residencial): English / 日本語
Austrália(NTT Com ICT Solutions): English
China Continental: English / 日本語 / 簡體中文
Hong Kong e Macau: English / 日本語 / 繁体中文 / 簡體中文
Índia: English / 日本語
Indonésia: English
Coreia: English / 日本語 / 한국어
Malásia: English
Filipinas(DTSI): English
Singapura: English / 日本語
Taiwan: English / 日本語 / 繁体中文
Tailândia: English / 日本語
Vietnã: English / 日本語

Desenvolvimento econômico na china e riscos potenciais

NTT Com Global Watch vol.1, revisado em março de 2015

Muitos países estão se concentrando de maneira intensa na China como “o mercado de consumo do mundo” por causa de seu excepcional crescimento econômico. Muitas empresas multinacionais estão estabelecendo novas operações na China e estão aumentando o número de bases de produção, filiais locais, e pontos de venda de varejo focando no mercado interno chinês.

Negócios na China: Considerações de negócios de longo prazo

Tendo em conta que a China ultrapassou o Japão e se tornou o 2º país do mundo em termos de Produto Interno Bruto (PIB) em 2010, não há dúvidas de que a China se tornará um líder econômico global ainda mais forte no futuro. Ao mesmo tempo, no entanto, existem vários possíveis problemas quando pensamos em negócios de longo prazo; por exemplo, o aumento dos preços dos produtos, terra e o risco de uma bolha imobiliária causada pelo crescimento econômico, além de instáveis condições políticas. Desde 2010, houve uma conscientização sobre o risco da ocupação excessiva na China, em parte devido a frequentes os conflitos trabalhistas, aumento dos salários e deterioração das relações entre a China e o Japão por causa do desacordo sobre as Ilhas Senkaku.

cmn_pt_img_resources_global-watch-vol1_01

A China ultrapassou o Japão e se tornou a segunda maior economia do mundo em 2009 e continua crescendo.

Fonte: Banco de dados dos principais agregados de contas nacionais das Nações Unidas

Recentemente, “China mais um” tornou-se uma palavra-chave entre as empresas expandindo suas operações na Ásia. A ideia é que, ao fazer investimentos paralelos em outros países além da China, elas conseguem distribuir o risco. O Sudeste Asiático, particularmente os países da região do Rio Mekong, surgiu como “mais um”.

cmn_pt_img_resources_global-watch-vol1_02

Está claro que o PIB nominal da Tailândia e do Vietnã vem crescendo rapidamente nos últimos anos.

Fonte: Banco de dados dos principais agregados de contas nacionais das Nações Unidas

A sub-região da grande Mekong está atraindo as atenções como nova opção

A sub-região da grande Mekong, que é composta por cinco países e duas províncias na região do Rio Mekong – Tailândia, Vietnã, Camboja, Laos, Myanmar, e as províncias de Yunnan e Guangxi da China – vem ganhando atenção no contexto internacional. Ela possui vários elementos de uma nova região econômica, incluindo mão de obra barata e terras e recursos naturais abundantes. Mais notavelmente, a área em torno do Corredor Econômico do Sul que conecta a Tailândia (Bangkok), o Camboja (Phnom Penh) e o Vietnã (Cidade de Ho Chi Minh) tornou-se uma rota de distribuição ativa com uma linha tronco desenvolvida e infraestruturas relacionadas, e ela deve demonstrar um crescimento econômico ainda maior.

cmn_pt_img_resources_global-watch-vol1_03

A área em torno do Corredor Econômico do Sul conectando a Tailândia e o Vietnã ganhou destaque como uma nova região econômica

Assim como na China, as empresas de todo o mundo já expandiram para a sub-região da grande Mekong e estabeleceram bases ali. Ferramentas da Tecnologia de Informações e Comunicações (ICT) são essenciais para facilitar a interação entre as empresas locais e suas sedes, mas as infraestruturas não foram suficientemente estabelecidas para acompanhar esse movimento, causando alguns sérios problemas para iniciar e dar continuidade às operações destas empresas.

Demanda por redes de alta qualidade e estratégia para a Ásia da NTT Com

Tailândia e Vietnã, que passaram por um crescimento excepcional, e o Camboja, cuja proximidade e base de baixo custo dão suporte às atividades econômicas destes dois países, são agora locais de negócios atrativos. Esses países vêm melhorando gradualmente suas infraestruturas para dar melhor apoio às atividades comerciais. Neste momento, no entanto, o estado da infraestrutura de ICT está longe de ser suficiente.
Esta é uma preocupação séria entre as empresas que estão expandindo seus negócios na região e para aqueles que pretendem estabelecer uma nova presença no local.

No Vietnã, onde da infraestrutura de ICT é insuficiente, além de questões referentes à estabilidade e à velocidade do ambiente da Internet, serviços não podem ser utilizados por um longo período, gerando vários problemas para uso comercial.

Devido às infraestruturas insuficientes e a questões relacionadas à estabilidade e à velocidade do ambiente da Internet, os serviços no Vietnã não podem ser utilizados para um longo período de tempo, gerando vários problemas para empresas.

Embora a qualidade do serviço venha melhorando ao substituir ADSL por fibra óptica (FTTH), problemas relacionados aos ambientes instáveis de energia elétrica e desastres naturais, como furacões e relâmpagos, ainda permanecem. Existem também muitos desastres provocados pelo homem, como interrupção ou suspensão dos serviços devido ao gerenciamento inadequado ou obras nas estradas, e quedas de energia devido à manutenção realizada sem aviso prévio ou aviso repentino. Situações semelhantes também estão ocorrendo nos países vizinhos, de modo que muitas empresas expressaram um forte desejo por melhorias na qualidade.

Enquanto isso, há uma necessidade urgente de oferecer serviços de alta qualidade e plataformas de infraestrutura confiável para dar suporte à continuidade estável dos negócios em meio de um rápido aumento no tráfego de rede. Como parte de seus esforços para responder a estas necessidades, a NTT Com começou a fornecer serviços de conexão de Internet para as empresas no Camboja em março de 2011. A NTT Com continua a expandir as infraestruturas de ICT de alta qualidade fornecidas na região do Rio Mekong e outras regiões asiáticas. Em abril de 2011, ela começou a colaborar com o Centro de Informações da Rede de Internet do Vietnã (VNNIC), um órgão do governo, para fornecer serviços de conexão de Internet no Vietnã.

Back to Top